Este ano teremos eleições presidenciais e já sabemos a loucura que vai ser, não é? Nem preciso de bola de cristal para dizer que teremos muitas brigas na internet, discussões acaloradas com amigos e familiares, e um monte de desinformação circulando por aí. Para tentar ajudar você nesse desafio que temos pela frente, separei alguns posts que falam sobre como se comunicar de forma mais eficiente, assertiva e, por que não, gentil.

Antes de irmos aos conteúdos, um aviso: Eu sou “da paz”, mas entendo que existem embates com os quais precisamos nos envolver sim. Por outro lado, tenho certeza de que o diálogo é a única forma de construirmos algo. Sempre que eu falo sobre empatia, escuta e entendimento, tenho a impressão de sou tida como “isentona”, “em cima do muro”, ou até mesmo bolsonarista. Socorro né gente, eca, claro que não. Está bem claro que precisamos acabar com esse governo (que não deveria nem ter começado) e começarmos a reestruturar o nosso país. Então, não estou pedindo para você ser amiguinho(a) de negacionista, nem complacente com o cenário atual. Eu gostaria de estimular discussões melhores para podermos, enfim, sair da briga e partir para as soluções. Então, lá vão, cinco ideias para enfrentarmos as conversas difíceis que teremos em 2022:

1 – Como brigar na internet (corretamente)

O escritor Mortimer Adler estabeleceu, em 1940, algumas regras para discussões frutíferas. As ideias dele podem ser transpostas para nossas conversas na  internet e estão mais atuais do que nunca.

2 – Como desbancar um sabichão com apenas uma pergunta

Se alguém acha que está certo o tempo todo, tem alguma coisa errada.

3 – Você pode mudar de ideia. Está tudo bem. 

Às vezes achamos que nossas ideias são a nossa identidade e que abandoná-las é o mesmo que morrer. O filósofo Roman Krznaric e o psicanalista Contardo Calligaris acham que não é bem assim. 

4  – Que diferença podemos tolerar

Existe muito terreno entre o diálogo impossível e as diferenças com as quais podemos conviver. Vamos explorar esse espaço?

5 – Guia para conversas difíceis

O livro Comunicação Não-Violenta traz instruções muito claras sobre como ter uma conversa difícil que dispensa a parte da briga e vai direto para a resolução do problema. 

Imagem: Yura Timoshenko no Unsplash

Leia também:

Vencer a discussão não resolve o problema

Estrutura de um discurso político

Cidadãos podem ser agentes de mudança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending